Já operei minhas varizes. E agora, posso operar de novo?

Já operei minhas varizes. E agora, posso operar de novo?

A resposta é SIM, mas…

Vamos analisar alguns aspectos;

Varizes de grande calibre
Varizes de grande calibre
  • varizes são veias doentes, sendo assim, não estão realizando sua principal função que é a do retorno do sangue no sentido do coração.
  • o defeito nas veias que se transformaram em varizes, traz uma consequência ainda pior, que é o refluxo sanguíneo, (ou incompetência ou insuficiência). Isto significa que o sangue além de não retornar no sentido correto pelas veias varicosas, adquire o sentido contrário quando a pessoa não está deitada. Este fluxo invertido sobrecarrega a pressão e o fluxo correto nas veias saudáveis das pernas. Assim, ao longo do tempo veias normais também se tornarão varizes.
  • varizes é uma doença progressiva, ou seja, piora com o passar dos anos se não for corretamente tratada.
  • a cirurgia de varizes elimina exatamente este grupo de veias doentes, melhorando assim o retorno sanguíneo e diminuindo a pressão venosa inadequada dos membros inferiores.

Vamos a outras considerações;

  • Um ano após a cirurgia.
    Um ano após a cirurgia.

    sabe-se que o fator genético tem uma grande importância no aparecimento de varizes e as manifestações da doença acompanham o passar do tempo do indivíduo. Quanto a isso ainda não há o que fazer, exceto operar quantas vezes for necessário evitando ter na velhice uma doença (varizes) que pode trazer complicações desagradáveis.

  • sabe-se também que as gestações tem importante componente no surgimento de varizes. Portanto novas gestações após cirurgias de varizes, podem contribuir, e muito, no aparecimento de novas varizes.
  • quase sempre, varizes de grosso calibre estão relacionadas ao mau funcionamento de safenas ou de veias perfurantes. Se o tratamento das varizes não incluir o tratamento das verdadeiras causadoras, provavelmente novas varizes surgirão.

Portanto, pelo exposto, não há qualquer inconveniente em operar as varizes quantas vezes for necessário, enquanto o paciente tiver condições clínicas para tal!

Até o próximo post.