Veia é veia, artéria é artéria…

Aneurisma da Aorta abdominal

Veia é veia, artéria é artéria…

Tenho observado a constante desinformação sobre as diferenças básicas sobre estes dois tipos de vasos presentes no nosso corpo.

O (a) repórter na televisão… fulano de tal apresentava uma dilatação na veia aorta… É impossível de existir esta patologia, porque simplesmente veia aorta NÃO EXISTE!

As artérias são vasos que levam o sangue arterial e oxigenado do coração para nutrir nossos tecidos e órgãos, enquanto que as veias trazem o sangue cheio de gás carbônico e catabólicos de volta para o coração.

Assim, as artérias funcionam com pressão bem mais elevadas que as veias, e por isso têm paredes mais grossas que as veias, e apresentam pulsação. Já as veias têm paredes mais finas, têm aspecto azulado e não apresentam pulsação (certo cantor que me perdoe, mas “no pulsar das minhas veias,” não existe!).

As artérias mais conhecidas para os leigos são, a aorta, as carótidas, as radiais (que se palpam nos pulsos das pessoas) e as femorais.

As principais veias são, a veia cava, as veias jugulares, as veias femorais e as veias safenas. Estas últimas são localizadas nas pernas, não tendo correlação alguma com o coração, exceto pelo fato de poderem ser utilizadas como pontes de safenas (bypass) para substituir ou auxiliar no funcionamento das artérias coronarianas ou de qualquer outro local do corpo no qual haja necessidade de auxiliar o funcionamento arterial.

Devido a estas diferenças de funcionamentos e de estruturas, artérias e veias estão sujeitas a doenças muito diferentes entre si.

Nas doenças arteriais o caráter predominante são as dilatações (aneurismas) e as obstruções por arteriosclerose aceleradas pela presença de hipertensão, taxas lipídicas e/ou diabetes mal controladas. Assim, não deixam de serem doenças do “envelhecimento” das artérias, e consequentemente costumam atingir os doentes numa faixa etária mais avançada.

Já a doença venosa mais frequente, as varizes, costumam ter um caráter hereditário importante, agravado pelas gestações e obesidade. Assim, não dependem do “envelhecimento” dos vasos, e embora estejam presentes também em idosos, elas se manifestam numa faixa etária muito mais jovem que as doenças arteriais. Outra doença venosa é a trombose venosa. Quando ocorre numa veia superficial, costumamos chamar de tromboflebites e quando acomete uma veia do sistema venoso profundo, chama-se de trombose venosa profunda (TVP). A TVP está mais associada ao hábito de tabagismo associado ao uso de anticoncepcional, ou a estados de hipercoagulabilidade como em certas doenças ou ainda em longas viagens de avião.

Assim, de modo geral podemos dizer que quando ouvimos dizer que alguém teve um membro amputado, provavelmente se tratava de uma grave doença arterial, enquanto que se a doença se manifestou por edema (inchaço) ou veias dilatadas, podemos imaginar que se trata de uma doença venosa.

Ajudou?